Comandantes do Exército e da Aeronáutica participaram de reunião com Bolsonaro

Comandantes do Exército e da Aeronáutica participaram de reunião com Bolsonaro
photo_2023-04-04_18-01-39

[[{“value”:”

A reunião que embasou a operação da Polícia Federal (PF) para apurar organização criminosa que supostamente atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito teve a participação de militares que chefiavam o Exército e a Aeronáutica.

O ex-comandante do Exército, Marco Antônio Freire Gomes, e o ex-comandante da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Júnior, estavam na reunião que aconteceu em 5 de julho de 2022. O então secretário-geral da Marinha, Marcelo Francisco Campos, também foi ao encontro promovido pelo então presidente Jair Bolsonaro (PL).

Leia Mais

Defesa diz que Bolsonaro imprimiu “minuta do golpe” por ter problemas de visão

STF converte prisão de Valdemar em preventiva e mantém aliados de Bolsonaro presos

Advogado diz que Cid não escondeu nada à PF e afirma não temer cancelamento de delação

Na agenda divulgada naquele dia pela Presidência da República consta a presença dos três militares. Nesta sexta-feira (9), o Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou a íntegra do vídeo que motivou a operação. No início da filmagem, é possível reconhecer os militares sentados entre os ministros do antigo governo.

Nas imagens divulgadas, o general Paulo Sérgio Nogueira, ex-ministro da Defesa de Bolsonaro, afirma que está tentando marcar uma reunião entre Bolsonaro e a Comissão de Transparência das Eleições do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Isso está em uma agenda futura. Dentro de um planejamento fazer tudo que eu falei aqui para a imprensa e muito mais com o PowerPoint, vou elaborar, presidente”, afirma o então ministro da Defesa.

O ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, disse durante o encontro que “se tiver que virar a mesa, é antes das eleições”. O general, um dos principais conselheiros de Bolsonaro, disse ainda que era necessário “agir contra determinadas instituições e contra determinadas pessoas”.

“O que tiver que ser feito tem que ser feito antes das eleições. Se tiver que dar soco na mesa, é antes das eleições. Se tiver que virar a mesa, é antes das eleições”, afirmou Augusto Heleno.

A CNN tenta contato com a defesa dos militares citados.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Comandantes do Exército e da Aeronáutica participaram de reunião com Bolsonaro no site CNN Brasil.

“}]] 

Posted in ,
bannerrsm

photo_2023-04-04_18-00-57
Rolar para cima
× Como posso te ajudar?