Golpe do Pix: veja como se proteger de fraude no Carnaval 2024

Golpe do Pix: veja como se proteger de fraude no Carnaval 2024
photo_2023-04-04_18-01-39

 [[{“value”:”Realizar pagamentos por PIX durante os bloquinhos de rua no Carnaval 2024 pode ser útil, mas é preciso ficar de olho para não cair em golpes; entenda como se proteger O Carnaval é uma época de descontração e alegria nas ruas, mas a data também pode ser usada por criminosos para realizar diversos golpes em foliões. O golpe do Pix é um exemplo disso, quando golpistas anunciam produtos por valores baixos durante bloquinhos de rua, mas emitem QR Codes de pagamento com o valor incorreto. Apesar de ser comum durante essa época, é possível se proteger antes mesmo de cair na folia. A seguir, entenda como funcionam os truques dos criminosos e saiba como se proteger das ações dos golpistas durante o Carnaval 2024.
Carnaval 2024: 5 funções para proteger o aplicativo de banco na folia
Carnaval 2024: 7 ajustes para fazer no Android antes de sair de casa
Carnaval 2024: veja dicas para se proteger do golpe do Pix durante a folia
Ferran Feixas/Unsplash
📝 Golpe no WhatsApp: como resolver? Saiba mais no Fórum do TechTudo
O que é o golpe do PIX?
O golpe do Pix é um esquema financeiro que envolve a plataforma de pagamentos instantâneos. A fraude induz o usuário a fazer transações bancárias ou permite que criminosos tenham controle da conta de terceiros. Os golpistas se atualizam de tempos em tempos e mudam a abordagem para atrair mais vítimas.
Entre as táticas usadas pelos criminosos para aplicar o golpe, estão o phishing, ataque que coloca um vírus no celular do usuário, e a engenharia social, mecanismo de manipulação. Em época de Carnaval, porém, cambistas mal-intencionados podem gerar QR Codes com valores maiores do que a compra, e enganar os foliões.
Como criminosos atraem vítimas?
Durante a folia, os criminosos podem se aproveitar de situações de vulnerabilidades, como aglomeração, embriaguez excessiva, uso de substâncias ilícitas e turistas para realizarem os golpes. Além disso, é comum que ambulantes mal-intencionados atraiam compradores ao ofertarem água, bebidas alcoólicas e refeições com preços menores, mas disponíveis apenas em pagamentos por Pix.
Criminosos podem gerar QR Codes com valores incorretos para realizar golpes
Mariana Saguias/TechTudo
Como se proteger do golpe do PIX?
Durante a folia de Carnaval, é importante conferir se o QR Code do pagamento possui o valor correto da compra e o destino certo. Os blocos de rua costumam mover multidões, e o pagamento rápido pode ser ideal para não atrapalhar a farra, no entanto, a atenção nesses momentos deve ser redobrada. Por isso, evite a pressa no momento de conclusão da compra, para evitar que alguma alteração passe despercebida. Outra dica é configurar um limite diário de transferência via Pix. A função pode ser encontrada na área “Meus limites PIX”, nos aplicativos de banco ou Internet Banking.
Caí no golpe do PIX, e agora?
Para recuperar o dinheiro do golpe do Pix, é importante agir o mais rápido possível assim que perceber a fraude. De acordo com especialistas, as primeiras 24 horas são fundamentais para o procedimento. Caso esse período tenha passado, o usuário pode acionar ajuda até 72 horas. Existe uma medida que visa proteger vítimas do golpe do Pix chamada de Mecanismo Especial de Devolução (MED). O primeiro passo do processo consiste em fazer um boletim de ocorrência.
Após essa etapa, a vítima precisa comunicar o ocorrido ao banco por meio dos canais de atendimentos da instituição. É importante enviar o boletim e outras provas, como prints de tela. O contato pode ser pelo chat, SAC ou ouvidoria, por exemplo. Feito isso, o banco da vítima comunicará o ocorrido à instituição financeira a qual o dinheiro foi enviado para bloquear o valor da conta do golpista. Os bancos envolvidos analisam o caso, em um prazo de sete dias. Se comprovada a fraude, o dinheiro sai da conta do golpista em até 96 horas. No entanto, só é possível recuperar a quantia caso o dinheiro ainda não tenha sido sacado pelo criminoso.
É possível recuperar o dinheiro caso você seja vítima do golpe do PIX? Confira
Mariana Saguias/TechTudo
É comum a conta do golpista estar vazia quando o banco tenta recuperar o dinheiro da vítima. Nesses casos, a instituição deve acompanhar as transações da conta do criminoso por um período de 90 dias para bloquear todo o dinheiro recebido para repassar à vítima o valor total perdido.
Com informações de Nubank, g1e Jusbrasil
Mais do TechTudo
Veja também: Nubank, Inter, Neon e mais: saiba tudo sobre bancos digitais
Nubank, Inter, Neon e mais: saiba tudo sobre bancos digitais”}]] [[{“value”:”
Realizar pagamentos por PIX durante os bloquinhos de rua no Carnaval 2024 pode ser útil, mas é preciso ficar de olho para não cair em golpes; entenda como se proteger O Carnaval é uma época de descontração e alegria nas ruas, mas a data também pode ser usada por criminosos para realizar diversos golpes em foliões. O golpe do Pix é um exemplo disso, quando golpistas anunciam produtos por valores baixos durante bloquinhos de rua, mas emitem QR Codes de pagamento com o valor incorreto. Apesar de ser comum durante essa época, é possível se proteger antes mesmo de cair na folia. A seguir, entenda como funcionam os truques dos criminosos e saiba como se proteger das ações dos golpistas durante o Carnaval 2024.
Carnaval 2024: 5 funções para proteger o aplicativo de banco na folia
Carnaval 2024: 7 ajustes para fazer no Android antes de sair de casa
Carnaval 2024: veja dicas para se proteger do golpe do Pix durante a folia
Ferran Feixas/Unsplash
📝 Golpe no WhatsApp: como resolver? Saiba mais no Fórum do TechTudo
O que é o golpe do PIX?
O golpe do Pix é um esquema financeiro que envolve a plataforma de pagamentos instantâneos. A fraude induz o usuário a fazer transações bancárias ou permite que criminosos tenham controle da conta de terceiros. Os golpistas se atualizam de tempos em tempos e mudam a abordagem para atrair mais vítimas.
Entre as táticas usadas pelos criminosos para aplicar o golpe, estão o phishing, ataque que coloca um vírus no celular do usuário, e a engenharia social, mecanismo de manipulação. Em época de Carnaval, porém, cambistas mal-intencionados podem gerar QR Codes com valores maiores do que a compra, e enganar os foliões.
Como criminosos atraem vítimas?
Durante a folia, os criminosos podem se aproveitar de situações de vulnerabilidades, como aglomeração, embriaguez excessiva, uso de substâncias ilícitas e turistas para realizarem os golpes. Além disso, é comum que ambulantes mal-intencionados atraiam compradores ao ofertarem água, bebidas alcoólicas e refeições com preços menores, mas disponíveis apenas em pagamentos por Pix.
Criminosos podem gerar QR Codes com valores incorretos para realizar golpes
Mariana Saguias/TechTudo
Como se proteger do golpe do PIX?
Durante a folia de Carnaval, é importante conferir se o QR Code do pagamento possui o valor correto da compra e o destino certo. Os blocos de rua costumam mover multidões, e o pagamento rápido pode ser ideal para não atrapalhar a farra, no entanto, a atenção nesses momentos deve ser redobrada. Por isso, evite a pressa no momento de conclusão da compra, para evitar que alguma alteração passe despercebida. Outra dica é configurar um limite diário de transferência via Pix. A função pode ser encontrada na área “Meus limites PIX”, nos aplicativos de banco ou Internet Banking.
Caí no golpe do PIX, e agora?
Para recuperar o dinheiro do golpe do Pix, é importante agir o mais rápido possível assim que perceber a fraude. De acordo com especialistas, as primeiras 24 horas são fundamentais para o procedimento. Caso esse período tenha passado, o usuário pode acionar ajuda até 72 horas. Existe uma medida que visa proteger vítimas do golpe do Pix chamada de Mecanismo Especial de Devolução (MED). O primeiro passo do processo consiste em fazer um boletim de ocorrência.
Após essa etapa, a vítima precisa comunicar o ocorrido ao banco por meio dos canais de atendimentos da instituição. É importante enviar o boletim e outras provas, como prints de tela. O contato pode ser pelo chat, SAC ou ouvidoria, por exemplo. Feito isso, o banco da vítima comunicará o ocorrido à instituição financeira a qual o dinheiro foi enviado para bloquear o valor da conta do golpista. Os bancos envolvidos analisam o caso, em um prazo de sete dias. Se comprovada a fraude, o dinheiro sai da conta do golpista em até 96 horas. No entanto, só é possível recuperar a quantia caso o dinheiro ainda não tenha sido sacado pelo criminoso.
É possível recuperar o dinheiro caso você seja vítima do golpe do PIX? Confira
Mariana Saguias/TechTudo
É comum a conta do golpista estar vazia quando o banco tenta recuperar o dinheiro da vítima. Nesses casos, a instituição deve acompanhar as transações da conta do criminoso por um período de 90 dias para bloquear todo o dinheiro recebido para repassar à vítima o valor total perdido.
Com informações de Nubank, g1e Jusbrasil
Mais do TechTudo
Veja também: Nubank, Inter, Neon e mais: saiba tudo sobre bancos digitais
Nubank, Inter, Neon e mais: saiba tudo sobre bancos digitais”}]] techtudo 

Posted in ,
bannerrsm

photo_2023-04-04_18-00-57
Rolar para cima
× Como posso te ajudar?