Mina abandonada na Finlândia vai virar bateria de gravidade

Mina abandonada na Finlândia vai virar bateria de gravidade
photo_2023-04-04_18-01-39

Uma das minas mais profundas da Europa — chamada Pyhäsalmi, na Finlândia — irá se tornar uma bateria de gravidade capaz de guardar até 2 megawatts de energia. O esforço faz parte da resolução de um problema quando se fala em energia renovável: o armazenamento da energia não utilizada.

“Armazenamento gravitacional” pode ser solução para as energias renováveis Bateria de concreto feita na Suécia é recarregável e se mostra promissora

Fontes de energia renovável, como usinas eólicas e painéis solares, não funcionam o tempo todo, podendo não estar disponíveis quando se precisa delas. Por outro lado, em dias muito ensolarados ou com muito vento, pode ser produzida energia em excesso, fazendo com que consumidores tenham de ser pagos para consumir eletricidade. A energia não utilizada, no entanto, simplesmente se perde.

A torre que abriga a mina de Pyhäsalmi, na Finlândia, que servirá de Bateria de Gravidade (Imagem: Gravitricity/Divulgação)

Seria ótimo se pudéssemos guardar o excedente de energia, não é? Baterias que guardem uma quantidade tão grande do recurso, no entanto, não existem, mas há algumas opções. Uma delas é a bateria de gravidade, que, apesar do nome impressionante, são bastante simples.


CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.

Como funciona a bateria de gravidade?

Na ocasião de fontes energéticas produzirem mais do que a demanda, o excesso de energia pode ser usado para mover pesos, como água e areia, para cima, transformando-se em energia potencial. Durante momentos de escassez, então, o peso é liberado, o que alimenta turbinas através da força da gravidade e da frenagem regenerativa, como a KERS dos carros de Fórmula 1.

A eficiência não é perfeita — a de nenhuma bateria é —, chegando a 80%, mas é melhor do que perder a energia. Em geral, baterias de gravidade são reservatórios bastante altos, mas minas abandonadas também são uma boa opção, já que são profundas e geralmente equipadas com o necessário para mover pesos.

Um conceito de bateria de gravidade da empresa Gravitricity, mostrando como o peso irá enviar a energia para os guindastes (Imagem: Gravitricity/Divulgação)

A companhia escocesa Gravitricity criou um sistema de guindastes e guinchos para serem instalados em minas sem uso para realizar o feito, e é a responsável pela instalação na cidade de Pyhäjärvi, na região central da Finlândia, cuja mina de zinco e cobre, Pyhäsalmi, tem 1.400 metros de profundidade.

À medida que as necessidades energéticas do planeta vão se voltando cada vez mais para fontes renováveis, tecnologias de armazenamento de energia, como essa, se tornarão cada vez mais procuradas. A vantagem de baterias de gravidade é que elas são baratas, não precisam de materiais raros para sua produção, e funcionam mais ou menos como uma bateria de lítio-íon.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Brasil x Venezuela | Onde assistir ao jogo da seleção no Pré-Olímpico Os 45 filmes mais esperados de 2024 Testes da dengue | Como funcionam e quando fazer Brahma Phone: conheça o celular descartável para o Carnaval Apple Vision Pro | EUA reforça atenção no trânsito após vídeo envolvendo headset Espécies inéditas de tubarão primitivo são encontradas em cavernas  

Posted in ,
bannerrsm

photo_2023-04-04_18-00-57
Rolar para cima
× Como posso te ajudar?