RSM


Crítico do governo, 'Rappler', portal de notícias da filipina Maria Ressa, recebeu ordem de encerrar atividades no último dia de Rodrigo Duterte deixar o poder. Filha de Duterte assumirá a vice-presidência no novo governo, comandado pelo filho do ex-ditador Ferdinand Marcos. Jornalista filipina Maria Ressa, uma das ganhadoras do Prêmio Nobel da Paz em 2021. Eloisa Lopez/Reuters O site de notícias Rappler, cofundado pela jornalista filipina e vencedora do Nobel da Paz de 2021 Maria Ressa, recebeu ordem para fechar, informou a empresa nesta quarta-feira (29), um dia antes do presidente Rodrigo Duterte – seu grande inimigo – deixar o poder. Ressa tem sido uma crítica veemente de Duterte e da guerra mortal contra as drogas que ele iniciou ao assumir a presidência em 2016, o que rendeu à jornalista e ao site Rappler uma longa lista de denúncias, investigações e ataques no país. A ordem de fechamento foi emitida pela Comissão da Valores Mobiliários das Filipinas. Em um comunicado, o órgão confirmou a "revogação dos certificados de incorporação" da Rappler por violar "restrições constitucionais e regulamentares à propriedade estrangeira nos meios de comunicação". Redação do Rappler, site da jornalista filipina vencedora do Nobel da Paz Maria Ressa, fecha as portas após determinação do governo de Rodrigo Duterte, em 29 de junho de 2022. Maria Tan/ AFP O Rappler afirmou que a decisão "confirma efetivamente o fechamento" da empresa, mas informou que pretende recorrer contra a medida, ao descrever o processo como "muito irregular". Ressa garantiu que o site continuará operacional durante a batalha legal. "Continuamos trabalhando, como sempre", disse a jornalista. Duterte deixa o poder na quinta-feira (30), depois de anos sendo duramente criticado sobre sua repressão e sua agressiva política de combate às drogas. No entanto, sua filha assumirá a vice-presidência do novo governo, que será comandando por Ferdinand Marcos Jr, filho do ex-ditador do país Ferdinand Marcos. Como filho de ex-ditador deposto pelo povo reconquistou o poder para sua família nas Filipinas O site teve que lutar para sobreviver diante das denúncias do governo de que violou uma cláusula constitucional que proíbe a propriedade estrangeira para obter financiamento, evasão fiscal e difamação cibernética. Duterte já chamou o Rappler de "site de notícias falsas". Maria Ressa, que também tem cidadania americana, e o jornalista russo Dmitri Muratov venceram em outubro o Nobel da Paz por seu esforço "para salvaguardar a liberdade de expressão". O jornal de Muratov, Novaya Gazeta, suspendeu em março as operações na Rússia após a aprovação de uma lei para punir aqueles que criticam a invasão da Ucrânia. Ressa enfrenta outros sete casos judiciais, incluindo um recurso contra uma condenação a seis anos de prisão por difamação. O Centro Internacional para Jornalistas pediu ao governo que revogue a decisão. "O assédio legal não custa apenas tempo, dinheiro e energia para o Rappler. Permite uma violência online concebida para calar o jornalismo independiente", afirmou a organização no Twitter. A ordem de fechamento do Rappler foi anunciada na véspera da saída de Rodrigo Duterte da presidência. Na quinta-feira ( acontecerá a cerimônia de posse de Ferdinand Marcos Jr, filho do falecido ditador de mesmo nome, cujo governo foi marcado por abusos e corrupção. Os ativistas temem que sua presidência represente um momento ainda pior para os direitos humanos e a liberdade de expressão do país. Leia também: Duterte em guerra fora da lei contra drogas Guerra de Duterte contra as drogas deixa órfãos nas Filipinas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.